Tuesday, December 22, 2009

Dicas para 2010

E no embalo de fim-de-ano (apesar de estar sendo MUITO ESTRANHO, não sinto como se fosse! Achoque é porque estou longe de casa... :S), copio uma listinha do blog do Renmero Rodriguez que, apesar de não ser essa a intenção, tem ótimos conselhos para todos nós colocarmos em prática no ano que se inicia - bom, nem toooooodos eles, mas... enfim.

Feliz 2010 para vocês. :)


"Achei essa lista que escrevi há uns meses.

Era pra ser algo pro meu "filho não nascido". Besteira, na verdade era pra mim mesmo.Escrevi isso pra dizer umas coisas que já fiz e outras que não fiz. Não são conselhos ou algo assim. São coisas que achei importante lembrar.

Segue. Eu conversando comigo mesmo:

* Quando estiver olhando pra uma garota, faça com que ela se sinta como a única coisa viva na face da terra. Muitos ignoram esse pequeno detalhe com medo de perderam sua pose de macho. Mas você saberá que está conquistando algo ali. Isso é o que importa. Ela vai saber também. E elas sempre sabem de tudo. Não se engane.

* Você não vencerá sempre.

* A assistir um filme [ou qualquer coisa] ruim, saia do cinema. Não volte. É uma grande sensação.

* Não recuse um drinque, mas não ofereça um a qualquer pessoa.

* Ao ver uma professora gostosa e fantasiar coisas incríveis durante a aula não fique assustado. Chegue nela e converse. Um dia você poderá dormir com ela - se não o fizer naquele mesmo dia.

* Escute discos inteiros. Decore ao menos um nos mínimos detalhes. Esse disco ainda vai salvar sua vida em algum momento.

* Na sua primeira vez, não esqueça de sorrir. Vai dar tudo errado. Mas vai ser incrível.

* Pratique uma arte marcial. Esportes coletivos não são da nossa estirpe. Artes marciais sim. Você nunca esquecerá do dia que derrotar o seu sensei.

* Chore em público.

* Grite o mas alto que puder num show.

* Quando uma garota o recusar, não entristeça. Escute hardcore. Você entristecerá com muitas coisas, garotas que te rejeitam não merecem tanta importância.

* Escreva caso for preciso. Escreva.

* Aprenda a se desfazer de coisas.

* Ligue para a sua mãe de tempos em tempos. Não precisa dizer muita coisa. Apenas converse com ela.

* Não tenha medo de andar na chuva.

* Escute blues. Será estranho no começo. Encontre alguém pra te guiar. Esse alguém será um grande amigo.

* Faça um mosh pit ou um stage dive. Não esqueça de fechar os olhos. Irá doer.

* Numa briga, bata forte e rápido. Não agarre, não corra. Não se deixe cair. Levante mesmo que seja para apanhar.

* Ame alguém com todas as suas forças.

* Odeie algo com todas as suas forças.

* Nunca leia um livro que você não possa carregar na mochila.

* Carregue um livro na mochila.

* Ligue pra uma garota de madrugada. Fale que quer dormir com ela.

* Corra. Sempre que for necessário corra. Você tem que ser capaz de correr quarteirões.

* Se um amigo sofrer algum acidente, vá até o hospital. Leve um disco ou livro pra ele. Não precisa conversar. Ele também estará assustado.

* Um dia você precisará jogar tudo fora. Jogue. São apenas coisas.

*Num beijo no escuro sempre abrace a garota, faça ela sentir que você está ali e que seus braços estão ao seu redor.

* Quando uma garota suspirar de tesão no seu ouvido não sinta-se confiante demais. Mas sorria.
* Reconheça suas vitórias. São mais comuns do que parecem.
* Vista-se com coerência. Não chame atenção, não há necessidade.

* Aprenda a cozinhar ao menos um prato.

* Se jogue de um barranco na água. De olhos abertos.

* Quando uma garota estiver se afastando grite "ei, eu te amo" para que todo mundo ouça. Não, ela não achará idiota.

* Acorde aos poucos. Aprenda a tomar café.

* Mantenha o foco em conversas.

* Ao reconhecer um idiota, deixe-o sozinho.

* Ao ver uma briga, nunca se meta no meio. Todavia, se um amigo estiver nela, nem precisa pensar duas vezes.

* Assista e leia O Poderoso Chefão. Várias vezes.

* Faça listas.

* Ignore listas."

Pergunta retórica

HAhaHAhahAhA

Vi essa no Orkut de um amigo e não resisti: MUITO BOA!!! :D

PS: Se não der pra ler (a imagem está em baixa resolução e não dá pra aumentar), ele está dizendo "Prontos para começar?")




Wednesday, December 02, 2009

Em tempo: um PS

Fazia tempo que eu não parava pra olhar o slideshow com umas fotos que tirei e que ficam rodando aí ao lado, mas hoje sei lá por quê, parei. E, gente, em umas três delas aparece o céu, azul. AZUUUUUUUUUL! Eu nunca tinha me dado conta de como o céu no Brasil é AZUL!

Na hora me veio um trecho de uma música que a Gal Costa canta, chamada Canta Brasil, que diz assim:

"Brasil, minha voz enternecida
Já dourou os teus brasões
Na expressão mais comovida
Das mais ardentes canções

Também, na beleza deste céu
Onde o azul é mais azul
Na aquarela do Brasil
Eu cantei de norte a sul"

E é verdade: o azul lá é mais azul. Mesmo em dia de sol e sem nuvens, o céu aqui no Canadá é um azul desbotado. O céu no Brasil é como o próprio pais: vibrante, quente. Em um paradoxo colorístico, é um céu "azul quente".

Acho melhor encerrar este PS - que acabou virando um post à parte - por aqui. Só por ele dá pra sentir que está na hora de voltar pra casa. Home. Lá, onde o azul é mais azul.

Só pra esclarecer..

Ou só pra dar satisfação pra quem está se perguntando (Hahaha... JURA!) "Por que a Renata não escreve mais aqui...?"


Bom, esta é uma pilha tamanho USUAL dos livros que TODA SEMANA pego na Biblioteca da Université de Montréal. Então, entre ler esses livros todos e fazer anotações a respeito do que leio - e, putz, eu escrevo PRA CARAMBA todos os dias, quando chega a noite quase não aguento mais digitar no computador! - não sobra muita vontade de escrever, não... :(

Masssssss, às vezes bate a saudade desse cantinho aqui. Vai ver que é respingo da que eu sinto de Satolep e do meu Brasil-brasileiro. Mas não dá nada: um mês e um pouquinho e já estou de volta. No Brasil e aqui também.

See ya then! ;)

Thursday, November 19, 2009

Pudim

Recebi essa de um amigo e, como (quase) todo texto da Martha Medeiros, ADOREI!

Soooooo... here you are!

PS: E, sim, quero o pudim inteiro, se me faz o favor... :)


Pudim


Não há nada que me deixe mais frustrada do que pedir Pudim de sobremesa, contar os minutos até ele chegar e aí ver o garçom colocar na minha frente um pedacinho minúsculo do meu pudim preferido.

Um só.

Quanto mais sofisticado o restaurante, menor a porção da sobremesa. Aí a vontade que dá é de passar numa loja de conveniência, comprar um pudim bem cremoso e saborear em casa com direito a repetir quantas vezes a gente quiser, sem pensar em calorias, boas maneiras ou moderação.

O PUDIM é só um exemplo do que tem sido nosso cotidiano.

A vida anda cheia de meias porções, de prazeres meia-boca, de aventuras pela metade.
A gente sai pra jantar, mas come pouco.
Vai à festa de casamento, mas resiste aos bombons.
Conquista a chamada liberdade sexual, mas tem que fingir que é difícil (a imensa maioria das mulheres continua com pavor de ser rotulada de 'fácil').
Adora tomar um banho demorado, mas se contém pra não desperdiçar os recursos do planeta.]Quer beijar aquele cara 20 anos mais novo, mas tem medo de fazer papel ridículo.
Tem vontade de ficar em casa vendo um DVD, esparramada no sofá, mas se obriga a ir malhar. E por aí vai.
Tantos deveres, tanta preocupação em 'acertar', tanto empenho em passar na vida sem pegar recuperação....

Aí a vida vai ficando sem tempero, politicamente correta e existencialmente sem-graça,enquanto a gente vai ficando melancolicamente sem tesão... Às vezes dá vontade de fazer tudo 'errado'.
Deixar de lado a régua,o compasso, a bússola, a balança e os 10 mandamentos.
Ser ridícula, inadequada, incoerente e não estar nem aí pro que dizem e o que pensam a nosso respeito.
Recusar prazeres incompletos e meias porções.
Até Santo Agostinho, que foi santo, uma vez se rebelou e disse uma frase mais ou menos assim:'Deus, dai-me continência e castidade, mas não agora'...
Nós, que não aspiramos à santidade e estamos aqui de passagem, podemos (devemos?) desejar vários pedaços de pudim, bombons de muitos sabores, vários beijos bem dados, a água batendo sem pressa no corpo, o coração saciado. Um dia a gente cria juízo.
Um dia.
Não tem que ser agora.

Por isso, garçom, por favor, me traga: um pudim inteiro um sofá pra eu ver 10 episódios do 'Law and Order', uma caixa de trufas bem macias e o Richard Gere, nu, embrulhado pra presente. OK?
Não necessariamente nessa ordem.

Depois a gente vê como é que faz pra consertar o estrago . . .

Saturday, November 14, 2009

To Say Nothing of the Dog


Yah, yeah, yeah, eu sei: não escrevo nada aqui há MILÊNIOS, mas entre ler toneladas de coisas para o meu Doutorado, alguns passeios por Montreal e a convivência com uma família maravilhosa não me sobra muito tempo mesmo.

Anyways, hoje não pude deixar de escrever. O caso é que estou lendo - após recomendação de um amigo (BTW, thanks for that, Christopher!) - um livro chamado To Say Nothing of the Dog.

Resumidamente, a história é sobre um historiador que vive no futuro (se não me engano em 2057) e que faz parte de um grupo que viaja ao passado coletando informações - sob ordens de uma ricaça com, definitivamente, DOIS parafusos a menos de tão prepotente que é! - para reconostruir uma réplica de uma catedral destruída na Segunda Guera Mundial. O problema é que de tanto fazer essas vaigens, os pesquisadores acabam sofrendo de time-leg, uma espécie de jet-leg causado pelas viagens no tempo, e cujos efeitos variam desde elocubrações poéticas a respeito das mínimas coisas (essas passagens são hilárias), verborragia (definição aqui e, sério, passei MAL de tanto rir com os trechos onde o cara desanda a falar!), desonrientação e dificuldade em distinguir sons (os trocadilhos e confusões causadas quando o personagem "ouve" palavras erradas são de morrer de rir também).

Ainda estou no início do livro e, claro, pode ser que a maionese desande mais adiante, mas poucas vezes um livro me conquistou tão rapidamente quanto esse. Ele é engraçado, espirituoso, tem umas reflexões interessantes - chegando às raias da física quântica mesmo - a respeito de viagens no tempo e suas consequências (não sobre os vaijantes, mas na história da humanidade) e várias citações literárias (de cabeça lembro agora de Sir Arthur Conan Doyle e Sherlock Holmes, sem falar no prórpio título do livro, tirado de Three Men in a Boat, To Say Nothing of the Dog de Jerome K. Jerome). Pena que não foi traduzido ainda para o Português (sim, sorry, quem se interessar vai ter que ler em inglês... :P), mas tomara que seja. Eu realmente recomendo.

Sunday, October 25, 2009

One more time...



Hehehe... sei que vou ouvir até não poder mais, vão me xingar adoidado e corro o risco de apanhar de pelo menos duas pessoas, massssssss.... não vou me aguentar: OUTRA VEEZEEEEZ!

Direto da página do Terra:

No quinto Gre-Nal da temporada 2009, neste domingo, o Internacional foi superior e, com o Beira-Rio lotado, fez 1 a 0 contra o Grêmio, encostando de vez na briga pela liderança do Campeonato Brasileiro - agora, são dois pontos a menos que o Palmeiras. Foi a quarta vitória do Inter no ano.

E, com isso, euzinha feliz aqui no Canadá...

Wednesday, September 09, 2009

Whyyyyyy?

Não sei porque você se foi...
Tantas saudades eu senti...

No que ele vai embora, faz TRÊÊÊÊÊÊÊS num jogo da Seleção!

E ele era nosso...

Valeu assim mesmo. Nilmar. ;)

Saturday, September 05, 2009

Sport results

Yaaaayyyyy!!!! Brasil-il-il-il!!!!


Direto do site do Terra:

Sábado, 5 de setembro de 2009, 21h08 Atualizada às 00h11

Seleção Masculina de Basquete:
Brasil vence Canadá e vai à final da Copa América

Futebol: Eliminatórias Mundial 2010
Matador, Brasil faz 3 na Argentina e se garante

Como eu costumo dizer, Somebody up there has a WICKED sense of humor... ;)

Monday, August 31, 2009

Packing


Falta menos de 2 semanas pra eu embarcar pro Canadá. Ao mesmo tempo em que parece uma eternidade pra data chegar (afinal não é todo dia que um sonho se torna literalmente realidade), não é tanto tempo assim pra deixar tudo pronto pra passar 4 meses fora e, pior ainda, pra aprontar tudo pra passar 4 meses fora - meaning, separar/organizar/"pacotar" tudo em (senhores passageiros, apertem seus cintos de segurança) DUAS MALAS!
Consultas na Internet pra saber o que levar são utterly useless: em um mesmo site uma pessoa diz pra levar manga curta - porque em Setembro faz 20ºC - e outra diz pra levar sweater - porque em Setembro pode fazer até 9ºC. Resultado: leva-se roupa pra quase quatro estações (na verdade só não vai biquini e sandália mesmo, até porque acho que se eu aparecesse por lá com os biquínis que a gente usa aqui eu correria o risco de ser apedrejada em praça - oooops, piscina - pública por atentado ao pudor (dizem que os canadenses são tímidos, então....:P) Junte a isso sapatos, tênis, cremes/shampoos/condicionadores/maquiagem/perfumes (sim, porque não pretendo chegar lá e ter que sair correndo pra farmácia, né?) e já viram o "volume" da coisa...
Mas não é só isso: pior é o resto que a gente tem que levar e não sabe como.
Estou falando de coisas que não se carrega na mala, mas que vão junto com a gente, no coração e na mente. Como se leva junto o cachorro que é o companheiro de todos os momentos, que vem deitar a cabeça no colo da gente quando a gente está triste, que pula feito pipoca quando a gente chega em casa da rua e ele já está esperando na porta, que se aconchega junto da gente de noite na cama, faça frio ou faça calor, e depois de dar um suspiro dorme gostoso feito um ursinho de pelúcia? Como é que a gente leva a amiga que esteve junto da gente a cada passo desse sonho maluco, que deu força e sonhou junto e que se tornou praticamente uma irmã pra gente? Como é que a gente leva a irmã do coração que a gente sabe que está feliz e torcendo pela gente ainda que a vida atribulada de nós duas não permita que a gente se fale tão seguido quanto a gente desejaria? Como é que a gente leva os amigos que, por email ("Eu sabia, Rezita!!!") ou nos almoços no Alles Blau ("Honey, go for it!"), deram todo o apoio e festejaram quando tudo se definiu? Como é que a gente leva a prima que está voltando de Portugal depois de 6 meses fora, o casal de tios cuja saúde vem dando sustos em sequência na gente e a prima amada que se forma em Medicina em Dezembro e a gente não vai poder festejar junto? Como é que se leva o irmão que vai pra Europa pouco depois da gente viajar e que a gente não vai ver no aniversário dele? Como se leva o "Kerb" da família em Dezembro, com o aniversário do meu tio, o Natal, o aniversário da outra prima e o Ano Novo, um seguido do outro, em menos de uma semana, "tutoxuntoreunito"? Como se leva um pai e uma mãe que não mediram esforços pra poder me dar esse sonho? Se duas malas é pouco espaço pra levar a tralha de roupas e acessórios, imaginem um pobre coração pra levar isso tudo... Ele vai pesado, doído, encharcado de lágrimas e saudade, e só não vai dar excesso de bagagem no aeroporto porque sem ESSA bagagem eu não sou eu e também porque ele vai ainda precisar ter lugar pra guardar as pessoas maravilhosas que estão me esperando por lá.

Wednesday, August 12, 2009

Emotional rollercoaster

Nada como as últimas semanas para me fazer entender e vivenciar na pele essa expressão: emotional rollercoaster.

Devo ir para Colonia del Sacramento encontrar meus amigos canadenses? Sim ? Não? Fui.

Será que vão gostar de mim? Sim? Não? I guess so... :)

Será que sai a bolsa da CAPES para ir pro Canadá fazer Doutorado-sandwich? Sim? Não? Nem sinal de resposta... até hoje!

Vou sem bolsa mesmo? Sim? Não? OK, vamos lá...

Será que meus pais topam me ajudar nessa? Sim? Não? Yesssssssss, eles são demais!!!!

Visto pro Canadá? Será que consigo agendar pra logo? Sim? Não? Oh, well, dia 19...

E será que eu consigo o visto? Será? Será?

Carta-convite dos amigos que vão me hospedar em Montreal? Peço (putz, é abusar da paciência das pessoas....)? Não peço? Damn, vamos lá... (E, sim, eles são demais também!!!)

VISTO DE TRÂNSITO AMERICANO PORQUE OS VÔOS PRA MONTREAL FAZEM ESCALA NOS EUA??? Tá de brincadeira comigo, né? Sim? Não? Aaaaaawww...

Vôo direto - sem as porcarias das escalas! - reservado. Será que a reserva aguenta até sair o visto? Sim? Não? Ai, que agonia...

Confirmação da co-orientadora... cadê? Cadê? CADÊ? Por que ela não respondeeeeeee????

E lá vou eu, subindo slopes de felicidade e despencando com contratempos que surgem como as curvas depois da queda na montanha-russa. Frio na barriga? Butterflies in my stomach? Nah, isso é fichinha. Minha barriga virou um cubo de gelo permanente, as borboletas são tamanho elefante e voam em bandos no meu estômago como gansos rumo ao sul no inverno do hemisfério norte.

Sim, em otional rollercoaster. Sentei no carrinho e não consigo sair...




Wednesday, July 15, 2009

Tempos modernos

Já recebi essa charge de 2 pessoas, e achei simplesmente GENIAL. Dispensa comentários, ela fala por si própria.

Ah, sim: desnecessário dizer que SIM, concordo que hoje em dia unfortunately é bem isso aí que acontece...



Friday, July 03, 2009

0 X 0

Saldo final depois de uma semana desastrosa para o futebol gaúcho: zero a zero na disputa entre Internacional e Grêmio. Ou melhor, eu diria -1 a -1, já que ambos sairam perdendo.


Entre mortos e feridos, choramos todos. :(


Friday, June 26, 2009

Minha mãe entende de futebol

História verídica, ocorrida há pouco mais de meia hora atrás...

Hoje no almoço, no restaurante, estamos eu e meu pai e minha mãe (de enxerida) falando do jogo do Inter ontem, do Bolivar que mal voltou de suspensão por ter sido expulso e já foi expulso de novo, do time que parece que "desandou" depois que o Nilmar foi pra Seleção, etc, etc, etc e ocorre o seguinte diálogo:

Mãe: Mas e o jogador bom aquele?

?????
(Caras de ponto de interrogação de ambos, pai e eu, pra ela)

Pai: Do Inter ou da Seleção?

Mãe: Não sei. Aquele azul...

Pai (pensando): Azul??? Que jogador é "azul"??? Na Seleção o Robino é preto, mas não chega a ser "azul"...

Eu (pensando também): Azul??? Não tem nenhum Smurf jogando. No mínimo ela está pensando no jogo do Grêmio com o Cruzeiro, que tinha os caras do Cruzeiro com a camiseta azul, afinal no dia do jogo ela já achou que o Grêmio era a Argentina por causa das camisetas...

Pai: Azul??? Que jogador azul???

Mãe: Ah, um velho, que corre muito... Aquele... o Linha Azul...

(matou a charada, já?)

Fim da história:
Pai (às gargalhadas): É GUI-ÑA-ZU!!!

Thursday, June 25, 2009

R.I.P. MJ & Angel Jill

Rest in peace, Michael Jackson and Farrah Fawcett. Some people may doubt that the world is a bit poorer without you, but the history of my life certainly is.

Farrah was part of my childhood as Jill Munroe, one of the 3 "original agents". Charlie's Angels first season was a hit and every little girl role-played them with her friends, myself included. MJ was the sountrack of my teenage years, and I still remember butterflies in my stomach at a party when the guy I loved throghout my years as a student at ETFPel - and some years more after that... :P - looked at me for the first time, at the sound of Thriller (I remember even the EXACT lines: They're out to get you, there's demons closing in on every side / They will possess you, unless you change that number on your dial...). And many other, no, ALL of his songs still remind me of those days.

So here's my tribute to them, for these images will be a part of my life forever: the opening and scenes of the first season of Charlie's Angels (A.K.A "As Panteras" in Brazil), the videoclip that changed the history of videoclips, the classic Thriller, and MJ in one of his finest moments, singing and dancing The Way You Make Me Feel at the Grammy's.


video


video

video

Tuesday, June 23, 2009

To write or not to write, that's the question



Well... há controvérsias. Não, não estou, em um ataque narcisístico, falando de mim mesma e em relação aos meus humildes escritos por aqui (apesar de que preciso me policiar um pouco quanto à qualidade do que vos posto aqui, já que depois que lá na UCPel descobriram este blog estou sob escrutínio dos meus peers/na berlinda/sob os holofotes e outras metáforas do gênero... :P). Falo de blogs que existem por aí que são REALMENTE bons. Alguns já sairam do ar, um deles sendo o do meu irmão - sim, ele leva jeito para a coisa. Devia ter sido escritor, a peste - outro o da Robs, massssss... enfim. Mr Saramago generalizou demais a coisa.

Aliás, eu diria que é quase um caso de "olha quem fala". Correndo o risco de ser apedrejada e excomungada (se bem que quanto a essa última desconfio que, segundo as leis da Igreja, estou na lista para... :P) por acadêmicos e entendidos da área de Letras/Literatura, eu particularmente acho o Saramago muuuuuuuuuuito cansativo. Sendo eu uma pessoa que lê-com-pontuação (SIM, PRECISO DESSES HÍFENS!), ou seja, que faz todas as paradinhas e respiradas e entonações e sei lá o que mais quando está lendo os textos do Saramago me dão um cansãço e me deixam sem fôlego porque é uma palavra atrás da outra e a coisa não termina nunca e onde é que essa frase vai acabar minha Nossa Senhoraaaaaaaaaaaaaa (insira aqui um ponto de interrogação) - viram como é bom? Mas gostos são gostos, dizia uma velhinha comendo uma coisa que não vou falar aqui para não causar um "Eeeewwww..." e caretas generalizadas. Tem gente que gosta, adora, AMA ele de paixão. Eu não. Em compensação tem gente que diz que não consegue ler O Senhor dos Anéis porque as descrições do Tolkien são detalhadas demais, enquanto que eu me derreto só de ler em voz alta e saborear o som das palavras que ele escolheu com todo cuidado para compor um todo harmonioso. Sim, gostos são gostos...

Enfim, minha opinião, como já declarei, é a de que não se pode generalizar. Tem porcaria por aqui na internet? Tem, e às pencas. Mas/porém/todavia/contudo/entretanto, daí a dizer que "blogs fazem as pessoas escreverem pior" é um pouco de exagero e o que se lê nas entrelinhas do Sr Saramago é "parem de escrever".

Bom, my dear, lamentamos informar que esta que aqui está vai continuar escrevendo. Podem até reclamar que eu demoro a postar coisas novas, mas eu escrevo e vou continuar escrevendo, mesmo sob o risco de cada vez "escrever pior" como apocalipticamente sentencia o ilustrísimo escritor. E em resposta à pergunta do título, obviamente plagiada de outro nobilíssimo autor, TO WRITE, sim: that's MY answer.

Friday, June 05, 2009

Ai ai ai...


Post mais frívolo impossível, mas não pude resisitir:

Não, essa imagem NÃO saiu diretamente das páginas de uma revista dos anos 80, é a última edição da WhoWhatWear (uma espácie de revista de moda online). Aparentemente caiu o preço das passagens para viagens em time mchines lá pelas bandas da América do Norte... :P



Mas, pô, podiam ter escolhido uma época melhor pra fazer um revival, né??? Ninguém merece o visual "repolho" daquele tempo (o qe são aquelas mangas?!?!?!!?) e eu já tive que passar por ele uma vez! Só resta esperar que não chegue - ou pelo menos não "pegue" - por aqui...

Sunday, May 10, 2009

Madre de Dios...

Imagina se o Nilmar fizesse gols... ;)


video



Happy Mother's Day!

Wednesday, May 06, 2009

Cold

Cold.



VERY cold (though it's really warm some just feet away...) :)


(Thanks S. for the picture)


A cold.





Coldplay.




Cold case.


Cold war.


Cold trail.

Cold blood.


Cold sweat.



Cold skin.


Cold hands, warm heart.



Cold feet.


Cold shoulder.


Cold beer.


Pour cold water.



Cold as a stone.



The cold truth.



Out in the cold.




Just cold.


Sunday, April 19, 2009

Fabio Koff é do Inter (ou "Inter massacra, faz 8 no Caxias e é bicampeão gaúcho")




(A primeira parte é de mina autoria, a segunda é a manchete da página do Terra no exato momento em que vos escrevo... hehehe)

E em respeito a meus amigos gremistas, deixo-vos apenas com fotos da conquista... ;)

Ah, sim: Saudações Coloradas...







Sunday, April 12, 2009

Meu doce vampiro...

Quando saiu o filme Twilight (Crepúsculo, em Português), assisti, gostei, mas não me empolgou demais. Depois, com a curiosidade atiçada por meia dúzia de amigas que estavam enlouquecidas pelos livros da série, fui ler a série. Como diria a personagem principal, Bella Swan, "What a stupid lamb...": me apaixonei!


Bom, cabe esclarecer que me apaixonei pelos LIVROS (pela história) e, de certa forma, pelo vampiro, não pelo ator Robert Pattinson como a maioria (se bem que ele personifica muito bem o personagem). Não, não é uma paixonite adolescente por personagem de livro, é só aquela sensação de "Ah, se fosse verdade, se existisse alguém assim..." Seriously, cá pra nós, como NÃO se apaixonar por ele???? Tirando o fato de ser vampiro (e ainda por cima é um vampiro bonzinho, "vegetariano", que só bebe sangue de animais), ele é tudo de bom! Bom coração, educado, inteligente, charmoso, generoso, com um senso de humor sarcástico (meu fraco), carinhoso, preocupado, dedicado e, óbvio, LINDO. Ah, sim: também é rico. Esqueci algo? CLARO: ele é absolutamente enlouquecido (em todos os sentidos possíveis, mas depois acaba ficando só no amor mesmo) pela guria. Precisa mais?

Como eu disse, o ator que interpreta ele no filme não me interessa absolutamente fora DESSE filme, mas nesse papel... Como resistir a esse charme todo? (Ou vai ver que eu é que sou louca e tenho uma atração pelo dark side)


Ah, siiiiiiiiiiimmm, detalhe: ele TINHA que tocar piano e compor uma música LINDA pra ela, não?

Além disso, tem a família dele: todos bonzinhos (com exceção de uma irmã peste, mas isso sempre tem), gentis e ADORAM a Bella. Depois que ela entra na vida dele, eles automaticamente passam a considerar ela "da família". Quem não quer algo assim, quem não quer uma família DESSAS aí embaixo, se sentir amada e benvinda, mesmo que a situação seja tão das mais surreais possíveis?


Enfim, termino aqui e agora a minha confissão: o vampiro me pegou. Agora só preciso que o meu super-herói venha me convencer do contrário e me salvar dessa... ;)

Saturday, April 11, 2009

Pringles


Às vezes as coisas mais simples e aparentemente "nada a ver" têm um significado especial para as pessoas e a gente sequer suspeita disso. Querem um exemplo? Pringles, pra mim, são superespeciais (bah, que falta sinto do hífen! Fica horrível sem!).

Tudo começou quando, há muitos anos atrás (e, putz, isso soou como aquele letreiro que passa no início do Guerra nas Estrelas: "Há muito tempo, numa galáxia muito, muito distante...." :P) a Lully me convidou pra. aproveitando o feriadão de Páscoa, ir numa excursão pra Montevideo. Eu andava meio down, tinha me separado e por causa do meu casamento tinha perdido contato com a maioria dos meus amigos/as, então como andava muito sozinha ela resolveu dar uma de salavadora da pátria e me arrastar numa viagem. Aquela foi a primeira de três que fizemos, sempre no mesmo feriadão, e no final irmos em excursão era só pela comodidade do ônibus e do hotel já reservado, porque no que chegavamos lá dávamos adiós, muchachos pro pessoal e saímos por nossa conta, já que conhecíamos a cidade tri-bem (OK, estou fugindo do assunto. Já volto pras Pringles).

A viagem ate Montevideo é um tanto longa, então por precaução as mortas de fome resolveram naquela primeira viagem ir ao supermercado e fazer um "ranchinho" pro lanche no caminho e uma das primeiras coisas que a Lully colocou no carrinho foi... uma lata de Pringles. Nem lembro se chegamos a comer as batatas no caminho - acredito que sim, dificilmente uma lata de Pringles escapa intacta! LOL - mas as Pringles se tornaram tradição nas viagens. E não só nas viagens: elas passaram a fazer parte da nossa vida de amigas, e acabaram por se estender a outras amizades e outras situações, pelo menos no meu caso.

As Pringles estavam presentes, como já disse, em todas as viagens a Montevideo e, ano passado quando fomos juntas ao show do Maná em Porto Alegre, a primeira coisa que a Lully perguntou quando começamos a combinar a respeito foi "Pringles pra viagem?" Elas também estavam lá quando uma amiga e eu - sorry, neste caso tenho que manter os nomes em segredo... - sentadas num banco da Donja e conversando sobre um crush comum às duas (na verdade mais um caso comum às duas... :/ ) descobrimos que o galinha do cara tinha ficado com AS DUAS em menos de 24 horas. As batatinhas - literalmente impossíveis de comer uma só - também estavam presentes quando a Livia me ligou às 2 da manhã e acabou na minha sala de estar desabafando sobre o namorado que havia acabado de se tornar ex. As Pringles me acompanharam até Curitiba este ano quando fui fazer uma prova do TOEFL e reapareceram na minha sala há pouquinho tempo pelas mãos de uma amiga querida que foi ao Uruguay e, mesmo sem saber dessas histórias todas, lembrou da minha paixão e me trouxe uma lata (valeu, Carem!!!) ;)

Pringles, por essas razões todas, têm um significado muito especial pra mim e por isso descobrir que outras pessoas - e pessoas muito queridas - também tem lá sua paixão por Pringles (ainda que seja apenas a qualidade musical de possuir um acoustic sound, a percussion kind of vibe) a ponto de fazer um vlog maluquinho, isso faz a gente se sentir feliz da vida, sorridente como o bigodudo que estampa a maravilhosa, deliciosa e inesquecível latinha vermelha.

video

Pringles rule, gente! :D

Sunday, April 05, 2009

100 years to live


Agradecemos o presente. A festa foi por nossa conta... ;)

OK, OK, pra não dizerem que o post é só pra implicar, vai aí a explicação - além da óbvia homenagem ao Inter - para o título: uma música muito legal do Five For Fighting (um grupo que eu adooooooooro!), 100 years.

Enjoy!



video

Wednesday, February 11, 2009

There It Goes


Lembram do meu post sobre o Domino Effect? Pois é...

Algum infeliz cutucou a pedrinha pro lado errado e de uma hora pra outra tudo o que parecia estar se encaixando feito mágica - ou feito seriado de TV... :P - desandou. E eu agora estou correndo atrás pra ver se consigo parar as pedrinhas antes que a última, lá no final, caia e então nada mais tenha volta.


PS: Sorry por demorar tanto a escrever. Vou tentar passar mais por aqui e menos por outras páginas da Internet...

PS#2: E pra bom entendedor meio título basta... :P